AO VIVO
Menu
Busca sábado, 22 de janeiro de 2022
Busca
São Paulo
32ºmax
19ºmin
Diário Popular Super
Correios
Saúde

Comissão discute projeto que cria política para pessoas com déficit de atenção

Crianças com déficit de atenção apresentam problemas de desenvolvimento e interação social

30 novembro 2021 - 06h00Por Redação

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados discute nesta segunda-feira (29) o Projeto de Lei 2630/21, que cria a política nacional de proteção dos direitos da pessoa com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH).

A proposta, de autoria do deputado Capitão Fábio Abreu (PL-PI), considera quem tem TDAH como pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais, e proíbe escolas de recusar matrículas de crianças com esse transtorno. Segundo Fábio Abreu, a intenção é "assegurar às pessoas com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade os mesmos direitos já garantidos às pessoas com transtorno do espectro autista".

O debate na comissão foi proposto pelo relator do projeto, deputado Fábio Trad (PSD-MS). Ele explica que o TDAH caracteriza-se por ser um padrão persistente e severo de desatenção, impulsividade e hiperatividade que normalmente se manifesta antes dos 7 anos de idade e que pode acompanhar o indivíduo por toda a sua vida.

"A pessoa com essa condição apresenta problemas no desenvolvimento, na interação social e no contexto educacional e profissional. Esse transtorno, com frequência, é alvo de preconceito e muitas vezes é mal compreendido", acrescenta o deputado.

Debatedores
Foram convidados para discutir o assunto, entre outros:
- o idealizador do programa Meu TDAH e criador do Instituto TDAH Descomplicado, Yuri Maia;
- a presidente da associação Pro Direito das pessoas autistas (PRO D TEA), Carolina Spindola Alves Corrêa; e
- a especialista em TDAH e transtorno do espectro autista Cybelle Fraga.

Confira a lista completa de convidados

A audiência será realizada no plenário 5, a partir das 9 horas, e poderá ser acompanhada ao vivo por meio do portal e-Democracia. Os interessados poderão participar, enviando perguntas, críticas e sugestões.

Fonte: Agência Câmara de Notícias