AO VIVO
Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
Busca
São Paulo
21ºmax
14ºmin
Diário Popular Super
Correios
Política

Celso de Mello extingue ação de Doria contra Kajuru

Ministro vê imunidade parlamentar e toma decisão

05 outubro 2020 - 14h42Por Paulo Toledo

O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, julgou extinta e arquivou uma notícia-crime apresentada pelo governador de São Paulo João Doria contra o senador Jorge Kajuru em razão de entrevista na qual o parlamentar chamou o tucano de "chumbrega". O ministro acolheu parecer da Procuradoria-Geral da República e entendeu que a manifestação de Kajuru estaria protegida pela imunidade parlamentar. A decisão foi dada na última sexta-feira, 2, mesmo dia em que o anúncio da aposentadoria do decano foi publicada no Diário Oficial da União - a partir do próximo dia 13.

"A análise dos elementos constantes destes autos permite-me reconhecer que o comportamento do acusado - que é Senador da República - ajusta-se, inteiramente, ao âmbito da proteção constitucional fundada na garantia da imunidade parlamentar material, em ordem a excluir, na espécie, a responsabilidade penal do querelado em referência", ponderou o decano no despacho.

O decano apontou que as manifestações de Kajuru quanto a Doria eram "moralmente contumeliosas e socialmente grosseiras", mas destacou que seria necessário reconhecer a imunidade parlamentar material no caso "em face da situação de antagonismo político", entre o senador e o governador de São Paulo.

Na petição ajuizada no Supremo Doria apontava suposta prática de crimes contra a honra - injúria e difamação - em razão de entrevista que Kajuru concedeu à Revista Veja. Segundo a decisão de Celso de Mello, o parlamentar afirmou, na ocasião: "Dória é metido a intelectual, mas é vazio e inculto. É chumbrega que não é o mesmo que brega: no dicionário Michaelis, significa desprezível. Mais um processo contra mim."

Estadão Conteúdo