AO VIVO
Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021
Busca
São Paulo
24ºmax
15ºmin
Justiça

EXCLUSIVO: Saiba o resultado da perícia da interdição do empresário Saul Klein

Justiça obrigou o empresário a se submeter a perícia psicológica; filho pediu a interdição do milionário por gastar de modo 'inconsequente' , Klein é acusado de crimes sexuais

04 março 2021 - 09h07Por Fe Fala

O empresário Saul Kleinfilho do fundador das Casas Bahia, foi obrigado a se submeter a perícia psicológica. A ordem foi proferida pela juíza Daniela Nudeliman Guiguet Leal, da 2ª Vara Cível de São Paulo. A decisão foi assinada em 30 de novembro. 

A produção da perícia decorre de pedido de interdição apresentado pelo filho do empresário, Philip Klein. O autor alegou que o pai está consumindo o patrimônio de maneira “acelerada” e “inconsequente“. Philip cita que Saul Klein possuía fortuna de R$ 1,5 bilhão, mas declarou ter R$ 61,6 milhões à Justiça Eleitoral. Ele concorreu a vice-prefeito de São Caetano do Sul (SP) na chapa de Fabio Palacio (PSD).

FeFala teve com exclusividade acesso ao resultado dessa perícia:

"CERTIFICO mais que, conforme determinado, passo a descrever o interditando, após estar em contato com o mesmo no interior de sua residência, durante aproximadamente uns trinta minutos: - CONDIÇÕES EM QUE SE ENCONTRA O INTERDITANDO: aparentemente normal, nenhuma anomalia ou desvio de conduta identificados; - ESTADO DE SAÚDE: constatei apenas falta de audição do seu lado esquerdo; - QUESTIONADO ACERCA DE EVENTUAL PREFERÊNCIA NO QUE TANGE A NOMEAÇÃO DE CURADOR: optou no ato por não se manifestar, alegando que não irá necessitar de curador"...

Supostos crimes sexuais

Saul Klein ainda é acusado por 14 mulheres de prostituição, aliciamento e estupro (entre outros crimes) e tiveram suas medidas protetivas revogadas pelo juiz Fábio Calheiros do Nascimento, da 2ª Vara Criminal de Barueri. Essas informações foram dadas pela revista Marie Claire na data de hoje (04).

O magistrado responsável pelo caso também negou proteção a outras 18 supostas vítimas que haviam entrado com o recurso, o qual impede o herdeiro de entrar em contato com elas, seja pessoalmente ou por meio de terceiros, bem como obriga a ele que mantenha distância das jovens. No despacho do juiz, o empresário também teve de volta seu passaporte, que estava retido pela Justiça desde novembro de 2020, quando as acusações foram acolhidas pelo Ministério Público de São Paulo.