AO VIVO
Menu
Busca sábado, 22 de janeiro de 2022
Busca
São Paulo
32ºmax
19ºmin
Diário Popular Super
Correios
Agronegócio

13º Congresso Brasileiro de Agroinformática (SBIAgro) acontece em novembro em formato digital

07 novembro 2021 - 11h00Por Redação

Unipampa, Embrapa e USP são as organizadoras do evento, que é promovido pela Associação Brasileira de Agroinformática (SBIAgro)

Entre os dias 10 e 12 de novembro acontece a 13ª edição do Congresso Brasileiro de Agroinformática (SBIAgro), evento bienal, promovido pela Associação Brasileira de Agroinformática (SBIAgro),  sob a organização do Campus Bagé da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Embrapa Pecuária Sul, Embrapa Agricultura Digital (Campinas, SP) e Universidade de São Paulo (USP). A novidade desta edição será o formato, totalmente virtual.  

O SBIAgro é o principal evento científico da área de informática aplicada à agricultura no Brasil e tem como objetivo promover o compartilhamento de resultados de pesquisas, troca de ideias sobre trabalhos em andamento e a inovação no setor. Nesta edição, o evento aborda o tema Inovação Digital e os Biomas: integrando a produção agropecuária à conservação do Meio Ambiente. 

O SBIAgro contará com palestras de pesquisadores e profissionais atuantes nas áreas temáticas oferecidas; sessões técnicas para apresentação e discussão de resultados de pesquisa e inovação; painéis para o debate de temas atuais da agricultura digital; e concursos de trabalhos de iniciação científica e de teses e dissertações, que dão destaque aos trabalhos desenvolvidos no âmbito acadêmicos por alunos de graduação e pós-graduação.

De acordo com a organização, o SBIAgro é um ponto de encontro para pessoas interessadas no desenvolvimento dos sistemas agropecuários, promovendo geração de ideias, soluções e novas parcerias que possam fomentar o desempenho econômico da área por meio de tecnologias que considerem a preservação dos biomas, os aspectos humanos e sociais, além do bem-estar animal. 

“Desde 1996, o congresso bienal da SBIAgro é o fórum que reúne a maior parte da comunidade crescente de agroinformática, repaginada e evoluída como agricultura digital. Nele apresentamos, discutimos e disseminamos as tendências e soluções para o setor, não apenas em pesquisa e desenvolvimento, pois procuramos promover uma integração entre PD&I trazendo empresas e microempresas, visando a questão de parcerias para inovação aberta. Neste ano, teremos o lançamento do manifesto da Rede GO FAIR para a agricultura, palestras e painéis com temas em inteligência artificial (IA), soluções atuais para problemas de IA na agricultura, políticas e iniciativas governamentais para a agricultura digital, bem como desafios e perspectivas do tema", disse Maria Fernanda Moura, presidente da Associação Brasileira de Agroinformática e pesquisadora da Embrapa Agricultura Digital. 

As inscrições podem ser feitas até o início do evento. A programação completa, cronograma de inscrições e informações sobre as submissões estão disponíveis no site do evento

O evento conta com o apoio da SBC, Sebrae, Instituto de Estudos Avançados da USP e Celeiro AgroHub, além de patrocínios da Ripple Impact e o IBM/Fapesp/USP Center for Artificial Intelligence. 

Oportunidades da agricultura digital
A Unipampa e a Embrapa Pecuária Sul desenvolvem, em parceria, o Programa de Pós-graduação em Computação Aplicada (PPGCAP), no campus Bagé da Universidade. Conforme a professora do curso de Engenharia da Computação da Unipampa, campus Bagé, e presidente do 13º SBIAgro, Ana Paula Ludtke Ferreira, a área de agricultura digital tem ainda um grande potencial a ser explorado. “Tem o mundo inteiro a ser feito nessa área. A quantidade de oportunidades quando olhamos para os processos do setor agropecuário é muito grande. Temos trabalhado com temas como planejamento, controle, melhoramento animal, algoritmos para atividades que o produtor hoje faz no olho, etc. Do ponto de vista científico e tecnológico, tem muita coisa para ser feita. Cada uma das dissertações de mestrado do programa poderia virar uma empresa”, destacou Ana Paula. 

Para o chefe-geral da Embrapa Pecuária Sul, Fernando Cardoso, o evento é mais uma forma de reforçar essa cooperação e apresentar à sociedade um pouco do trabalho realizado no programa. “A parceria entre Unipampa e Embrapa, materializada através do mestrado em Computação Aplicada, é uma excelente combinação de capacidades complementares. Na Unipampa temos um conjunto de professores com conhecimentos na área de Computação e na Embrapa técnicos altamente especializados na produção agropecuária. O que estamos fazendo é combinar essas capacidades, para levar a Tecnologia da Informação cada vez mais para o desenvolvimento sustentável do agronegócio”, disse. 

Conheça o Mestrado em Computação Aplicada
O Programa de Pós-graduação em Computação Aplicada (PPGCAP) é uma parceria entre a Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e a Embrapa Pecuária Sul para o desenvolvimento de pesquisas e produtos, de inovação tecnológica e formação de pessoas na área de Tecnologias para Produção Agropecuária. O PPGCAP foi aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em 2016 e iniciou seu funcionamento em março de 2017.

O Programa, hoje, conta com 11 docentes permanentes, sendo cinco da Unipampa – todos doutores na área de Computação – e seis da Embrapa Pecuária Sul – doutores pesquisadores das áreas de Agronomia, Zootecnia e Medicina Veterinária. O PPGCAP tem como objetivo aplicar técnicas computacionais na solução de problemas da produção agropecuária. Tendo como foco principal as tecnologias para produção rural, as linhas de pesquisa se baseiam em: Agropecuária de precisão e Modelagem Computacional do Sistema Solo-Planta-Animal.

Os trabalhos desenvolvidos no programa de mestrado abordam, de forma geral, o desenvolvimento de produtos de hardware e software para apoio à tomada de decisão de produtores rurais; controle de equipamentos agrícolas; redes de sensores para coleta de dados; ciência de dados; otimização de processos produtivos; e reconhecimento de imagens, entre outros. Os estudos variam desde a busca pelo melhor esquema de acasalamento para maximizar indicadores genéticos e econômicos até o diagnóstico precoce de doenças no gado por meio de imagens. O programa faz oferta de dez vagas anuais. Para saber mais, acesse a página do programa

Com informações da jornalista Tamíris Centeno Pereira da Rosa (Unipampa)
 

Felipe Rosa (14406/RS)
Embrapa Pecuária Sul