AO VIVO
Menu
Busca terça, 03 de agosto de 2021
Busca
São Paulo
17ºmax
12ºmin
Diário Popular Super
Correios
Jornal tem 136 anos de história

Diário Popular de São Paulo peticiona ao STF pedido para contratar o jornalista Oswaldo Eustáquio

Preso e censurado há um ano, o jornalista foi absolvido de todas as acusações pelo próprio órgão acusador

22 junho 2021 - 17h33Por Da Redação
Diário Popular de São Paulo peticiona ao STF pedido para contratar o jornalista Oswaldo Eustáquio

O ministro Alexandre de Moraes, recebeu na manhã desta terça-feira um pedido realizado pelo Jornal Diário Popular de São Paulo, de 136 anos de existência, para contratar o jornalista investigativo Oswaldo Eustáquio, preso e censurado há um ano no âmbito do inquérito 4828, dos atos antidemocráticos. Impedido de trabalhar, pela Suprema Corte, o jornalista já havia recebido um convite de uma emissora de TV também de São Paulo, mas o pedido na época foi indeferido pelo Ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito.

A expectativa é que desta vez, o Ministro autorize o jornalista a se tornar colunista deste jornal, já que a Procuradoria Geral da República pediu há duas semanas o arquivamento deste inquérito e na semana passada, a liberdade plena do jornalista Oswaldo Eustáquio, sem oferecimento de denúncia, ou seja, o próprio órgão acusador reconheceu a inocência do profissional de imprensa, que hoje encontra-se sobre uma cadeira de rodas após ter sido espancado, torturado e sofrido um acidente no Complexo Penal da Papuda, presídio de Segurança Máxima, em Brasília-DF.

Oswaldo Eustáquio é jornalista investigativo há 15 anos, diplomado, vencedor de vários prêmios de jornalismo, foi produtor do Documentário Quebrando o Silêncio, dirigido por sua esposa, a jornalista Sandra Terena, que rendeu a ela o prêmio internacional Jovem da Paz 2009. O jornalista foi um dos fundadores da Aldeia Kakané Porã, primeira aldeia indígena urbana do sul do Brasil, que rendeu a ele o Prêmio Voluntário empreendedor em 2010. Em 2014, com a reportagem sobre os pescadores no litoral do Paraná, foi vencedor dos maiores prêmios de jornalismo do estado tanto na categoria Jornal Impresso, representando a Gazeta do Povo, quando na categoria Televisão, pela TVCI, ganhando da Globo e Record naquele ano. No dia 19 de abril de 2020, denunciou a trama de um golpe contra o presidente da República em uma live histórica com o ex-deputado Roberto Jefferson com uma audiência simultânea de mais de 300 mil pessoas, chegando a um total de 40 milhões de visualizações em todas as redes do jornalista.

A reportagem do Diário Popular procurou o jornalista Oswaldo Eustáquio para comentar a possível contratação, que depende da autorização da justiça, mas uma cautelar do próprio STF o impede de dar entrevistas. Por meio de seu advogado, Ricardo Vasconcellos, a defesa de Oswaldo Eustáquio informou que o jornalista sente-se honrado pelo convide de um jornal de vanguarda e acredita em uma parceria que pode reformar o jornalismo e a comunicação no Brasil, com um trabalho comprometido com a verdade e com a justiça. Vasconcellos tem se destacado como um dos principais advogados do Brasil com vitórias importantes contra Joice Hassellmann, Jean Wyllys, Leandro Demori, Guilherme Boulos e vários outros. Além disso, foi o principal advogado no processo dos Atos antidemocráticos, já que Oswaldo Eustáquio está a um passo da liberdade. 

O diretor Presidente do grupo Diário Popular, Ronaldo Santos, disse que o veículo vem simplesmente atender o anseio de milhares de jornalistas e milhões de brasileiros que clamam pela justiça e pelo direito de ter um representante deles no meio da comunicação com um pensamento alinhado com o que eles acreditam, que vem se concretizar com essa contratação.

Dessa forma, o Diário Popular, com seus 136 anos de história,  vem mais na vanguarda, como a nossa história em que noticiamos a promulgação da Lei Áurea, a Proclamação da República, a velha e a nova Constituinte, as duas guerras mundiais e tantos outros eventos que marcaram o Brasil e o mundo. Desta vez, temos uma causa muito importante que é a liberdade de expressão, de todo cidadão, mas sobretudo para um profissional jornalista que poderá recuperar sua voz através de vídeos, colunas, sem qualquer intervenção editorial ou política na luta pela conquista de uma democracia plena em nosso país.

“A democracia não pode ter apenas uma via, mas dois lados, como uma balança justa. Estou muito feliz por participar deste momento da nação e da contratação deste jornalista, que hoje representa um símbolo da luta pela liberdade de expressão no Brasil”, disse Ronaldo Santos, Presidente do Grupo Diário Popular de São Paulo.