AO VIVO
Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
Busca
São Paulo
26ºmax
16ºmin
Coluna

Nossa Senhora Aparecida, Imperatriz Perpétua do Brasil!

Princesa Isabel: Indo diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida prometeu que se fosse mãe, varreria a igreja como sinal de humildade e gratidão pela graça alcançada.

13 outubro 2021 - 16h08

A coroa e o manto azul: Doados pela Princesa Isabel após receber a graça de ser mãe

Robinson Daniel @robDriller

  1. A Princesa Isabel visitou a famosa capela de Guaratinguetá.

Indo diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida prometeu que se fosse mãe, varreria a igreja como sinal de humildade e gratidão pela graça alcançada. A Princesa já estava casada há 11 anos e não conseguia vingar nenhuma gravidez.

A Princesa herdeira do Império Brasil algum tempo depois da visita à Aparecida, engravidou e teve seu primeiro filho.

Em 6 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez a basílica e ofertou à Nossa Senhora, em pagamento da promessa (feita em sua primeira visita, em 8 de dezembro de 1868), uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com um manto azul, ricamente adornado.

A 8 de setembro de 1904, a imagem foi coroada com a riquíssima coroa doada pela Princesa Isabel e portando o manto anil, bordado em ouro e pedrarias, símbolos de sua realeza e patrono. A celebração solene foi dirigida por D. José Camargo Barros, com a presença do núncio apostólico, muitos bispos, o presidente da República, Rodrigues Alves e numeroso povo.

Depois da coroação o Santo Padre concedeu ao santuário de Aparecida mais outros favores: ofício e missa própria de Nossa Senhora Aparecida, e indulgências para os romeiros que vêm em peregrinação ao Santuário.

  1. "Rainha do Brasil (Lei nº 6 802, de 30 de junho de 1980)

Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi proclamada Rainha do Brasil e sua Padroeira Principal em 16 de julho de 1930, por decreto do papa Pio XI. A imagem já havia sido coroada anteriormente, em nome do papa Pio X, por decreto da Santa Sé, em 1904.

Pela Lei nº 6 802, de 30 de junho de 1980, foi decretado oficialmente feriado o dia 12 de outubro, dedicando-se este dia à devoção. Também nesta lei, a República Federativa do Brasil reconhece oficialmente Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil.

  1. A visita de Jair Bolsonaro à Aparecida em 12 de outubro de 2021

Vejamos como foi noticiada a visita de JB na mídia brasileira:

O presidente Jair Bolsonaro participou de missa no Santuário Nacional de Aparecida. Na chegada a Aparecida (SP), apoiadores se aglomeraram para ver o chefe do Executivo. A visita não estava prevista na agenda oficial do presidente. Bolsonaro estava acompanhado dos ministros João Roma (Cidadania) e Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações). Na celebração religiosa, o presidente fez a primeira leitura. Estava usando máscara de proteção e a retirou ao fazer a leitura da Bíblia....

Também leu a oração de consagração a Nossa Senhora Aparecida, no final da celebração. A missa foi conduzida pelo arcebispo de Aparecida (SP), Dom Orlando Brandes, que mais cedo, na missa das 9h, afirmou que a “pátria amada não pode ser pátria armada”, em crítica à pauta armamentista defendida por Bolsonaro. O presidente causou a aglomeração de fiéis após a missa. Depois da missa, Bolsonaro cumprimentou apoiadores. Ele estava usando máscara de proteção. Em 2019, em seu primeiro ano de mandato, Bolsonaro também visitou Aparecida no dia da padroeira do Brasil. Na ocasião, ele também foi vaiado e aplaudido ao chegar.

Fonte: Poder 360

  1. A devoção a Maria, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, missão do povo brasileiro

Vejamos a brutal diferença entre a fé e a postura de cada governante, em momentos distintos da História. Embora “católico”, Jair Bolsonaro hesita em manter a fé na Igreja de Cristo e tenta agradar a todos, sobretudo aos apoiadores evangélicos e à sua própria esposa, vivendo uma espécie de hibridismo religioso que, por fim, não agrada a ninguém! A nobre Princesa Isabel prometia varrer a basílica se lhe fosse dada a graça e, em agradecimento, deu de seu tesouro.

A vocação do Brasil é servir a Cristo por meio da proteção de Nossa Senhora Aparecida. Tentar fazer outra coisa diferente disso, resulta no que temos observado todos os dias: um país sem rumo, sem fé, sem liderança.

Unido estreitamente à história de Portugal, o Brasil, abençoada Terra de Santa Cruz, tem a missão de ser um povo evangelizador, de levar a luz de Cristo aos lugares aos quais ela ainda não chegou ou, infelizmente, onde ela quase se extinguiu. Eis a nossa tarefa, mas não porque sejamos um povo melhor do que os outros, mais bem preparados, mais cultos, mais ricos; não porque tenhamos “merecido” aos olhos de Deus ser distinguidos com uma missão especial. A história sagrada nos mostra, muito ao contrário, que são justamente os pobres e pequeninos, aqueles que aos olhos do mundo parecem não prometer nada de grandioso, que o Senhor escolhe com preferência e predileção para levar a cabo os seus desígnios. Disso é prova nada menos do que a própria Igreja, um milagre moral de santidade e beleza cujos fundamentos são doze simples judeus, quase todos sem instrução, sem recursos, mas inflamados daquela santíssima e apostólica caridade que faz os humildes superarem os poderosos da terra.

Deus converta teu coração, querido Presidente Jair Messias Bolsonaro e lhe dê a coragem que lhe falta para assumir a fé pura e orientar o nosso país em direção à Justiça de Cristo!